Vigilância pede cuidados redobrados contra dengue

Neste ano de 2017, Pirassununga continua como uma das poucas cidades em todo o interior paulista que não registrou quaisquer casos de contágio local de dengue e outras doenças provocadas pelo vetor, o mosquito aedes aegypti, como chikungunya e zika-vírus.

Este trabalho preventivo foi amplamente feito pela municipalidade e a Secretaria Municipal de Saúde que, insistentemente, realizaram uma série de “arrastões de limpeza”, nos meses de janeiro até início de março. A própria Vigilância Epidemiológica confirma que houve a colaboração maciça da população e a grande maioria manteve seus respectivos imóveis limpos e sem entulhos ou locais com água parada.

Mesmo sem registros autóctones destas doenças, a Saúde Municipal e a Vigilância mantêm o alerta à população para redobrar os cuidados para este novo período de clima quente e seco, especialmente verificados em agosto e agora, em setembro. Até a manhã desta quarta-feira (20), a Vigilância confirmou que não há nenhum caso registrado destas doenças, mesmo que “importados”.

No entanto, segundo explicações técnicas, a tendência é que o final deste mês e o início de outubro, as chuvas regulares e o calor mais intenso retornem, o que propicia a proliferação do mosquito aedes aegypti. “A cidade não pode se descuidar, pois estas doenças podem voltar a qualquer momento”, reitera a Vigilância.

Informações gerais sobre estas doenças podem ser obtidas na sede do Centro de Especialidades Médicas (CEM) – no Jardim Carlos Gomes – ou pelo telefone (19) 3563-5050, com ramais (3563-5051 até o 3563-5069).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: