Plenário do Paço: palestra finaliza campanha “Outubro Rosa”

O câncer de mama é o desenvolvimento anormal das células do seio. Estas estruturas crescem de forma desordenada esubstituemo tecido saudável. Inicialmente, aparecem pequenos nódulos, que podem se espalhar para áreas próximas à mama afetada; como os músculos, pele e axila. Este acontecimento é mais propenso em mulheres acima de 40 anos de idade e, por este motivo, a mamografia deve ser preventiva e realizada anualmente.

Descoberto precocemente, a curabilidade é de 95%, e a prevenção é controlando o peso corporal, mantendo a alimentação saudável e evitando a ingestão de bebidas alcoólicas. Pode-se identificar com exame de mamografia ou o autoexame da mama. O tratamento é feito, sobretudo, com cirurgia, radioterapia, quimioterapia e medicamentos.

Descrito o problema acima, anualmente, o país organiza uma campanha geral para palestras e eventos que tratam da prevenção e autoexame. OOutubro Rosafoi encerrado em Pirassununga na tarde desta terça-feira (31 de outubro), com palestras e orientações e a participação de servidores públicas municipais de vários setores da administração.

Antes da palestra especial, com participação do Grupo de Voluntários de Combate ao Câncer (GVCC), de Pirassununga, o prefeito Ademir Lindo alertou mulheres até mesmo homens sobre este problema, e reiterou a necessidade de promover estas campanhas permanentes com objetivo final de diminuir a incidência do câncer de mama.

Hoje temos tecnologia e tratamento eficaz e, portanto, pode-se fazer exames preventivos, com a possibilidade de cura total”, observou o prefeito, que complementou: “O Centro de Especialidades Médicas dispõe de mamografia e já estamos agendando novo mutirão de exames”.

DoençaOs seios são fontes de várias simbologias em diferentes culturas: motivo de inspiração e desejo, são também o órgão da amamentação, da feminilidade e do prazer. A mama, contudo, adoece e o câncer é o mal que mais acomete essa glândula28% do total de tumores, sendo o tipo que mais provoca a morte de mulheres no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo, porém, o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, 95% de probabilidade de recuperação total.

Com o objetivo de chamar a atenção e divulgar histórias surgiu na década de 1990, nos Estados Unidos, a campanha identificada comooutubro rosa, hoje difundida em diversos países. No Brasil, a primeira iniciativa partiu de um grupo de mulheres, em 2002, e foi marcada pela iluminação rosa do Obelisco do Ibirapuera, em São Pauloem 2 de outubro na comemoração dos 70 anos do encerramento da revolução, o monumento ficou iluminado com a cor da campanha.

Anos mais tarde, entidades relacionadas ao câncer de mama iluminaram de rosa monumentos e prédios em diversas cidades. Aos poucos, o Brasil foi ganhado a simbólica cor em todas as capitais e o mês de outubro tornou-se símbolo da luta pela prevenção e tratamento. O Ministério da Saúde registra um crescimento de 35% na realização de exames, que passou de 3 milhões, em 2010, para 4,1 milhões em 2016. Até julho deste ano foram realizados um total de 2,1 milhões de testes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: