Saep investe em solução de drenagem no Jd. Kamel e nova estação de tratamento de água

O Saep (Serviço de Água e Esgoto de Pirassununga) tem investido em obras de infraestrutura tanto no sistema de captação e tratamento de água quanto em sistemas de drenagem de águas no Município.

A autarquia anunciou por meio do seu superintendente, João Alex Baldovinotti, que vai construir em breve sistema de drenagem de águas pluviais no Jardim Kamel atendendo a antiga reivindicação de moradores. Ao mesmo tempo os investimentos em tratamento de água não param, e recentemente a capacidade de tratamento foi ampliada com uma nova estação construída.


Nova drenagem do Jardim Kamel

O sistema de drenagem do Jardim Kamel é uma antiga reivindicação os moradores. Para drenagem das águas pluviais do bairro uma galeria será construída com tubulação de mais de meio quilômetro.

Os 515 metros de obras são compostos por tubos de concreto com aproximadamente 65 metros com diâmetro 800 mm, outros 300m de tubo de diâmetro 600mm, além de 150m de tubo de diâmetro 400mm. Haverá ainda construção de 30 bocas de lobo e uma bacia de detenção com volume de armazenamento de 6.700 metros cúbicos. A obra será realizada com recursos e pessoal da própria autarquia.


Nova Estação de Tratamento de Água

A nova Estação de Tratamento de Água, a ETA 4, já está pronta no atual complexo de tratamento de água localizado no Polo Empresarial. O local contava com duas estações: a ETA 2, com capacidade de 160l/s e a ETA 3 com capacidade para 50 l/s.

Com o crescimento populacional e a entrada em operação da nova captação de água bruta do Rio do Roque, que permitiu aumento do volume captado, era necessária uma ampliação do tratamento de água.

O Saep construiu então a nova ETA aproveitando parte das instalações e equipamentos existentes com vazão de 80 l/s em função não só do aumento de demanda. A ideia é que com a nova ETA possa haver, quando necessário, pausas no módulo de tratamento atual para eventuais manutenções.

Para viabilizar a intervenção foi necessária a substituição de uma das bombas de recalque para se ter uma vazão máxima de 300 l/s. O investimento foi de aproximadamente R$ 1,9 milhão com recursos próprios do Saep.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *