Covid-19: Grávidas e puérperas acima dos 18 sem comorbidades e com prescrição médica podem se vacinar

A partir desta quarta-feira (9) novos públicos-alvo estão sendo incluídos na vacinação contra Covid-19. A partir e agora as grávidas e puérperas sem comorbidades, acima dos 18 anos, podem se vacinar na Unidade de Saúde da Raia (USF Guaraciaba Vanin, na Rua Pedro de Camargo Neves, 994, na Raia), das 8h às 14h, conforme disponibilidade de frasco aberto. As gestantes e puérperas devem apresentar prescrição médica com a indicação da vacinação contra a Covid-19.

Desde 9 de junho também podem tomar a 1ª dose contra a Covid-19 os profissionais da Educação de 45 anos e acima com o cadastro já aprovado e munido do QR Code. Estes profissionais têm quatro opções de localidades para se imunizarem: as unidades da Redenção (USF Aristides Rodrigues), Vila Brás (USF Roque Di Mattia), Laranjeiras (USF Laranjeiras) e Limoeiro (USF José Marafão), das 8h às 16h, conforme disponibilidade de frasco aberto. **Veja o passo a passo para profissionais da Educação elegíveis para vacinação em tópico ao final desta matéria.


Pessoas com comorbidades e BPC acima dos 18 anos ou acima de 60 anos sem comorbidades devem se vacinar

A vacinação contra a Covid-19 também segue em aplicação da 1ª dose para outros públicos ao longo desta semana nas unidades da Redenção (USF Aristides Rodrigues), Vila Brás (USF Roque Di Mattia), Laranjeiras (USF Laranjeiras) e Limoeiro (USF José Marafão), das 8h às 16h, conforme disponibilidade de frasco aberto.

Podem tomar a primeira dose da vacina quaisquer pessoas acima dos 60 anos, bastando procurar uma das quatro unidades acima citadas.

Além destas, as pessoas com deficiência permanente/BPC que têm 18 anos ou mais também podem tomar a primeira dose nos mesmos quatro locais.

É aplicada a primeira dose da vacina também para pessoas com comorbidades com 18 anos ou mais, nas mesmas unidades (Redenção, Vila Brás, Laranjeiras e Limoeiro), também das 8h às 16h. A lista de comorbidades é definida pelo Ministério da Saúde e está ao final desta matéria. Para receber a primeira dose as pessoas com comorbidades devem levar na vacinação o RG, CPF, comprovante de endereço e ainda comprovar ser do público-alvo com comorbidades e que integre os grupos anunciados, apresentando comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório ou prescrição médica.

As vacinas são sempre aplicadas conforme disponibilidade de frasco aberto e as salas de vacinação estão abertas de segunda a sexta-feira.


**Passo a passo para profissionais da Educação elegíveis para vacinação

Os profissionais da educação da faixa etária elegível deverão se pré-cadastrar no site do ‘Vacina Já Educação’ no link https://vacinaja.educacao.sp.gov.br/. Esse pré-cadastro passará por um processo de análise, definido pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, e se validado, o profissional receberá em seu e-mail o Comprovante ‘Vacina Já Educação’. Este documento comprova a elegibilidade para a vacinação e terá um QR Code para verificação de autenticidade.

No momento da vacinação, o profissional da educação deverá apresentar este Comprovante ‘Vacina Já Educação’, além de documento de identificação com foto e CPF para conferência dos dados pelo profissional de saúde. Caso o usuário não apresente o Comprovante ‘Vacina Já Educação’ ou o seu número de CPF não conste no comprovante apresentado, ele não poderá ser imunizado.

Os trabalhadores da educação serão vacinados de acordo com o seu município de trabalho.


Lista de Comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde:

(Faixa etária acima dos 18 anos a partir de 09/06/2021)

– Doenças Cardiovasculares

– Insuficiência cardíaca (IC)

– Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar

– Cardiopatia hipertensiva

– Síndromes coronarianas

– Valvopatias

– Miocardiopatias e Pericardiopatias

– Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas

– Arritmias cardíacas

– Cardiopatias congênitas no adulto

– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

– Diabetes mellitus

– Pneumopatias crônicas graves

– Hipertensão arterial resistente (HAR)

– Hipertensão arterial – estágio 3

– Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade

– Doença Cerebrovascular

– Doença renal crônica

– Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer).

– Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)

– Obesidade mórbida

– Cirrose hepática


CRÉDITO DA FOTO: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *