Vigilância segue campanha preventiva contra dengue; um caso de chikungunya é registrado

Mesmo com a incidência de chuvas irregulares para este período de primavera, o alerta permanente para evitar a dengue e outras doenças continuam junto à Vigilância Epidemiológica. Mesmo com o controle da situação, para manter o controle dos possíveis criadouros do mosquito aedes aegypti, causador de doenças como a dengue, chikungunya e zika, além de febre amarela.

Até os últimos dias de outubro e primeiros dias de novembro, havia o contágio ocorrido no primeiro semestre deste ano, num caso “importado” de dengue. Porém, na quarta-feira passada (1º), a Vigilância Epidemiológica confirmou um caso suspeito de chikungunya, contraído na cidade. Ao confirmar todos os sintomas, a pessoa infectada – que teve sua identificação preservada – iniciou imediatamente um tratamento intensivo.

No entanto, mesmo com esta contaminação, a Vigilância volta a solicitar de todos os munícipes que mantenham a atenção redobrada, para que novos casos não se manifestem. Estes cuidados incluem a limpeza geral e total de quintais e dos próprios imóveis para que o vetor, o mosquito aedes aegypti não tenha quaisquer chances de se procriarem.

Mesmo assim, Pirassununga ainda continua muito bem cotada no conceito estadual, pois não registra quaisquer casos de dengue e zika desde o segundo semestre do ano passado, tornando-se assim, numa das poucas cidades do Estado de São Paulo em que estas doençascontinuam sob controle.

Já contabilizando este caso confirmado de chikungunya, nesta primeira semana de novembro – com dados até a manhã desta quarta-feira (1º de novembro) – os possíveis casos de dengue somam 58 notificações (números estes verificados no dia 25 de outubro passado), com três registros em investigação; a chikungunya continua sob investigação em um dos cinco casos notificados; em relação à zika, dos quatro casos, todos foram descartados. Em relação à microcefalia nenhum caso foi notificado ou registrado neste ano, assim como febre amarela. Em todos os casos suspeitos, as pessoas passaram por um tratamento intenso.

A Saúde Municipal e a Vigilância mantêm o alerta à população para redobrar os cuidados neste novo período de clima quente e com nebulosidade variada, especialmente verificados no último quadrimestre, entre julho e outubro passados. Informações gerais sobre estas doenças podem ser obtidas na sede do Centro de Especialidades Médicas (CEM) – no Jardim Carlos Gomes – ou pelo telefone (19) 3563-5050, com ramais (3563-5051 até o 3563-5069).

ComunicadoA Sala de Situação de Arboviroses tem como objetivo ser o centro de gestão de situações críticas referentes às doenças transmitidas pelo aedes aegypti, como dengue, febre amarela urbana, chikungunya e zika vírus. As reuniões acontecem sempre às primeiras terças-feiras do mês. Estes são os componentes oficiais: Secretário Municipal de Saúde; Representante da Vigilância Epidemiológica; Representante do Controle de Vetores; Representante da VISA; Representante da Coordenação da Atenção Básica; e Representante do Laboratório Municipal. Quando necessário, a sala solicita a colaboração de outras secretarias e profissionais para participarem das reuniões.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: