Vigilância anuncia último balancete sobre dengue em fevereiro: nenhum caso é registrado

A incidência de dengue e outras doenças provocadas pela picada do mosquito aedes aegypti em Pirassununga, ao que indica o relatório semanal da Vigilância Epidemiológica, está sob controle. No entanto, qualquer descontrole desta campanha permanente, que inclui mutirões de limpeza, novos casos poderão ser notificados e confirmados.

Passados quase dois meses deste ano de 2017, segundo o balancete parcial elaborado até a manhã desta terça-feira (21) – o último de fevereiro, não há confirmação de quaisquer casos das doenças acometidas pelo mosquito aedes aegypti, porém, houve um pequeno aumento nas notificações de possíveis casos.

No caso da dengue, por exemplo, a Vigilância Epidemiológica registrou 19 notificações, das quais 11 já foram descartados e oito ainda seguem sob investigação; no caso da chikungunya continuam os mesmos dois casos suspeitos, com um acompanhamento médico.

Em relação à zika-vírus, continua um único caso, que ainda está em investigação médica. Outra doença que preocupa a Saúde Pública, a microcefalia por zika, não houve quaisquer notificações neste ano (em 2016 foram detectados cinco casos, todos “importados”), assim como a febre amarela, cujo surto apareceu no leste do Estado de Minas Gerais – na cidade de Teófilo Otoni – e já teve registros de casos no Distrito Federal (Brasília) e nos Estados do Espírito Santo e São Paulo, com casos verificados em Araraquara e “suspeitos” na região leste.

Uma próxima atualização está prevista para acontecer na primeira semana de março, e a tendência atual é que não haja outros registros de casos. Quaisquer informações ou esclarecimentos, a Vigilância Epidemiológica funciona junto ao entro de Especialidades Médicas (CVEM), no Jardim Carlos Gomes, ou pelo telefone (19) 3561-6292.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: