Pirassununga recebe doação ‘capacetes-respiradores’ para pacientes com Covid-19

Pirassununga recebeu nesta semana a doação de 5 unidades de capacetes de oxigenação, também chamados de ?capacetes-respiradores?, cujo uso auxilia na respiração de maneira não invasiva de pacientes acometidos pela Covid-19. O material foi doado pela UEM (Universidade Estadual de Maringá) por intermédio do Prof. Dr. Edson Arpini Miguel, do Departamento de Medicina, após pedido realizado pelo setor de Saúde da Prefeitura de Pirassununga.

Os ?capacetes-respiradores? são dispositivos amplamente usados em outros países, como a Itália, para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus (Sars-CoV-2), e estão, aos poucos, sendo implementados no Brasil.

A ferramenta auxilia o paciente por meio de ventilação mecânica, sendo acoplado ao ventilador ou ao fluxo do oxigênio com pressão de oxigênio, fazendo com que o ar chegue ao paciente de forma não invasiva, diferente da intubação.

O capacete envolve a cabeça inteira do paciente e é selado com um colar hermético que envolve o pescoço, também evitando que o vírus se espalhe no ambiente e melhorando a troca de oxigênio, além de ser mais confortável para o paciente do que a máscara.

De fato o capacete de oxigenação tem sido recomendado em muitas diretrizes como um suporte respiratório não invasivo durante a pandemia de Covid-19 em muitos países ao redor do mundo. Entre todos os dispositivos não invasivos ele é o que proporciona uma menor quantidade de dispersão de partículas e contaminação do ar, e pode mitigar a falta de leitos de UTI durante o pico da doença, bem como uma menor necessidade de intubação e ventilação mecânica.

O modelo disponibilizado em Pirassununga foi desenvolvido pelos professores Drs. Luiz Cótica, Gustavo Dias e Ivair Santos, do Grupo de Desenvolvimento e Inovação em Dispositivos Multifuncionais, vinculado ao Departamento de Física da UEM (Universidade Estadual de Maringá, do Paraná), e pelo professor Dr. Edson Arpini Miguel, do Departamento de Medicina da UEM.

Durante a pandemia, com a elevação expressiva do número de casos e a quase ocupação total dos leitos, os capacetes têm sido utilizados pelos pacientes do local como um recurso importante que auxilia na recuperação dos pacientes, evitando a intubação e a necessidade de ventilação mecânica em muitos casos. Por isso a Associação dos Amigos do Hospital Universitário (AAHU) está financiando a confecção desses capacetes por meio das doações a ela destinadas.

Idealizador da vinda dos capacetes para Pirassununga, o coordenador do PSF, Ricardo Mesquita, lembra que como a confecção dos capacetes está ocorrendo por meio de doações, foi realizada uma ?vaquinha online? para quem quiser ajudar, bastando acessar o link http://vaka.me/1941639 e seguindo os passos para doar.


Vantagens confirmadas com o uso do capacete de oxigenação:

1. Manutenção dos níveis de saturação de Oxigênio

2. Sustentação de níveis de pressão dentro do dispositivo

3. Os pacientes podem ser colocados em ?posição prona? com segurança com o uso capacete.

4. Melhora dos padrões da gasometria arterial

5. Maior conforto aos pacientes e comunicação com a equipe, podendo utilizar de dietas líquidas durante o uso.

6. Baixo custo de fabricação


Cuidados essenciais para o uso seguro do capacete de oxigenação:

É importante que a utilização deve ser feita com orientação de profissionais capacitados, com olhar interprofissional de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas.

O equipamento está indicado para pacientes de média gravidade que não tenham indicação de intubação naquele momento.

Reconhecer precocemente a piora do paciente evitando a exaustão do sistema respiratório, tal qual em outras formas de ventilação não invasiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.