Orquestra Bachiana Filarmônica do Sesi se apresenta em agosto, no “Dona Belila”

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo programou para o próximo mês de agosto, algumas atrações para as festas do 195º Aniversário de Pirassununga e, especial, no Centro Cultural de Eventos “Dona Belila”: a apresentação da Orquestra Bachiana Filarmônica do Sesi, sob regência do consagrado maestro João Carlos Martins.

Ao ar livre, o concerto – que faz parte das comemorações municipais – será realizado no dia 11 de agosto próximo (sábado), às 20 horas, no recinto do Centro Cultural de Eventos “Dona Belila”.

A orquestra ainda não definiu o repertório, mas, vai haver execução de trechos das principais canções do alemão Johann Sebastian Bach (1685/1750). Podem ser executadas outras músicas clássicas para esta apresentação especial. Bach é considerado um dos gênios da música clássica de todos os tempos.

Filarmônica A Orquestra Bachiana Filarmônica do SESI-SP se apresentou em diversas cidades do interior de São Paulo, nas periferias dos grandes centros, em teatros pelo Brasil e em renomados templos da música mundial, como o Carnegie Hall, o Lincoln Center e o Metropolitan, em Nova York (EUA).

Mantida pelo Sesi-SP, representa ação relevante no apoio à música erudita e ao desenvolvimento de seus integrantes. Formada por jovens e experientes instrumentistas de diversas idades, a Bachiana do Sesi contribui para a formação de talentos e dissemina a cultura da música erudita por todo o Estado.

Esta orquestra é distribuída com 21 violinos, sete violas, sete violoncelos, quatro contrabaixos, quatro trompas, dois trompetes, dois trombones e duas percussões, além de três flautas, e o mesmo número de oboés, clarinetes e fagotes. Esta orquestra também dispõe de um tenor solista e um regente assistente.

MaestroO maestro João Carlos Martins (1940) é um dos mais renomados em todo o mundo e considerado um dos maiores intérpretes do gênio alemão da música clássica Johann Sebastian Bach (1685-1750). Martins, por sua interpretação bachiana, atingiu um patamar raramente alcançado por outros músicos brasileiros no século XX.

Um dos pontos altos de sua carreira foi a gravação da obra completa para teclado desse gênio brasileiro da música erudita. Logo após, devido a problemas físicos, teve que abandonar a carreira de pianista, canalizando sua paixão para a regência.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: