Direitos Humanos incentiva projeto “Apadrinhamento Afetivo”

Um dos programas mais importantes da agenda anual da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos, Cidadania e Justiça é o incentivo ao projeto “Apadrinhamento Afetivo”. Este programa é uma política pública desenvolvimento no âmbito municipal, que prevê o estabelecimento de parcerias para desenvolver serviços de acolhimento para crianças e adolescentes, com envolvimento do Poder Judiciário.

Este projeto busca proporcionar a convivência familiar, com “padrinho” ou “madrinha”, cuja convivência que estes proporcionam se torna essencial para que crianças e adolescentes acolhidos possam ser escolhidos numa futura adoção. Portanto, o apadrinhamento é destinado para crianças a partir de 5 anos e adolescentes, que vivem em abrigos há mais de dois anos, com remotas ou inexistentes chances de adoção; os menores de 5 anos não participam.

São critérios para participar do programa como “padrinho” ou “madrinha” ser maior de idade; não possuir quaisquer problemas judiciais envolvendo crianças e adolescentes; residir em Pirassununga; não estar cadastrado na fila de adoção ou com pretensões de adoção; e ter ambiente familiar adequado e receptivo para atender ao programa.

Motivação – O apadrinhamento, em nenhum momento, significa a intenção de adotor uma criança ou adolescente. A criança ou adolescente “apadrinhada” não se torna filho, mas recebe todo o afeto e atenção social necessários para um desenvolvimento emocional mais saudável.

Segundo a psicóloga Camila Minatel Veronez, a motivação para este programa é ter disponibilidade afetiva, além de aptidão para cuidar ou zelar pelo apadrinhado, alé de disponibilidade para participar do processo de habilitação a este programa.

As pessoas que desejam participar do programa e se enquadram só procedimentos podem entrar em contato com a pasta de Direitos Humanos, Cidadania e Justiça no centro – à rua Frederico Port, nº 75 – ou pelo telefone (19) 3561-6332.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: