ESCORPIÕES: COMO SE PREVENIR

Os escorpiões são artrópodes que se alimentam de aranhas e insetos em geral. A maioria das espécies apresentam hábitos noturnos, quando saem para capturar suas presas, sendo ainda mais ativos na primavera e verão, quando há o aumento natural da população de escorpiões em função do período de reprodução.

Por mais que os escorpiões habitem matas e desertos, eles também vivem nas cidades, podendo ser encontrados geralmente em áreas verdes, cemitérios, terrenos baldios, linhas de trem, galerias de esgoto, águas pluviais, bueiros e até instalações elétricas, sempre em meio a serrapilheiras, pedras, tijolos, telhas, fiação, madeiras, frestas e buracos.

Medidas Preventivas:

  • Instalar telas nos ralos, pias, tanques e dutos de ventilação;
  • Vedar frestas nos muros, paredes e assoalhos;
  • Evitar rodapés soltos;
  • Vedar a soleira das portas com rodinho ou rolinhos de areia;
  • Verificar se as caixas de esgotamento, gordura, vigas, batentes, telhados em porões, sótãos, forros no teto, pontos de energia, telefone e sistema de refrigeração de ar não apresentam frestas e vãos;
  • Manter o ambiente limpo e organizado; acondicionando o lixo em recipientes fechados;
  • Não acumular entulho de obras ou lixo em quintais e terrenos;
  • Manter a limpeza de quintais, jardins e terrenos sem acúmulo de folhas e mato;
  • Não jogar lixo em terrenos baldios;
  • Eliminar fontes de alimento para os escorpiões como baratas, aranhas e pequenos invertebrados;
  • Evitar queimadas pois desalojam os escorpiões;
  • Preservar os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos (corujas, joão-bobo, etc.), pequenos macacos, quatis, lagartos, sapos e gansos (galinhas não são eficazes agentes controladores de escorpiões).

Atenção: Havendo a necessidade de controle químico, este deve ser realizado por equipe técnica especializada. Inseticidas não são aconselhados por possuírem baixa efetividade.

O que fazer p ara evitar acidentes:

  • Examinar roupas, calçados, panos, tapetes e toalhas antes de usá-los;
  • Manter lençóis, cobertores, cortinas e mosquiteiros sem contato diretamente com o chão;
  • Manter sempre fechados armários e gavetas;
  • Manter cama, sofás, berços e móveis em geral, afastados, no mínimo, 10 centímetros da parede;
  • Usar calçados fechados e luvas de couro ou similar ao manusear materiais de construção, no transporte de lenha e na limpeza de jardins ou outros materiais que possam servir de abrigo a escorpiões.

Como proceder em caso de acidentes:

  • Limpar o local com água e sabão;
  • Procurar orientação médica imediatamente no local mais próximo do local da ocorrência do acidente (UBS ou hospital);
  • Se possível, capturar o animal e levá-lo ao serviço de saúde pois a identificação do escorpião causador do acidente pode auxiliar no diagnóstico.

Importante: Crianças, adolescentes de até 14 anos e idosos devem ser encaminhados imediatamente a um hospital.

O que não fazer:

  • Não amarrar ou fazer torniquetes;
  • Não aplicar nenhum tipo de substâncias sobre o local da picada (fezes, álcool, querosene, fumo, ervas, urina) nem fazer curativos que fechem o local, pois podem favorecer a ocorrência de infecções;
  • Não fazer sucção com a boca;
  • Não cortar, perfurar ou queimar o local da picada;
  • Não dar bebidas alcoólicas ao acidentado, ou outros líquidos como álcool, gasolina, querosene, etc, pois não têm efeito contra o veneno e podem agravar o quadro.

O que a picada pode causar:

Engana-se quem pensa que quanto maior o escorpião, maior o perigo. Os escorpiões considerados perigosos medem apenas cinco ou sete centímetros. Os sintomas da picada podem incluir dor (ardor, queimação ou agulhada), formigamento, manchas vermelhas, febre, sudorese, dispneia, agitação, sonolência, náuseas, sialorreia, tremores, e em alguns casos, a picada pode levar a pessoa a óbito.

SAMU: 192

Bombeiros: 193

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.