Vigilância segue campanha preventiva contra dengue; balancete segue sem novidades.

A sequência de chuvas irregulares para este período de primavera, o alerta permanente para evitar a dengue e outras doenças continuam junto à Vigilância Epidemiológica. Mesmo com o controle da situação, para manter o controle dos possíveis criadouros do mosquito aedes aegypti, causador de doenças como a dengue, chikungunya e zika, além de febre amarela.

Até os últimos dias deste mês de novembro havia o contágio ocorrido no primeiro semestre deste ano, num caso “importado” de dengue e, em outubro passado, o anunciado caso autóctone de chikungunya. Em, ambos os casos, os tratamentos foram realizados e bem-sucedidos.

No entanto, mesmo com estes dois casos de contaminação, a Vigilância volta a solicitar de todos os munícipes que mantenham a atenção redobrada, para que novos casos não se manifestem. Estes cuidados incluem a limpeza geral e total de quintais e dos próprios imóveis para que o vetor, o mosquito aedes aegypti não tenha quaisquer chances de se procriarem.

Mesmo assim, Pirassununga ainda continua muito bem cotada no conceito estadual, pois não registra quaisquer casos de dengue e zika desde o segundo semestre do ano passado, tornando-se assim, numa das poucas cidades do Estado de São Paulo em que estas doenças continuam sob controle.

Já contabilizando este caso confirmado de chikungunya, nesta última semana completa de novembro – com dados até a manhã desta terça-feira (28) – os possíveis casos de dengue somam 62 notificações, com apenas um registro em investigação; a chikungunya continua sob investigação em um dos sete casos notificados; em relação à zika, dos quatro casos, todos foram descartados. Em relação à microcefalia nenhum caso foi notificado ou registrado neste ano, assim como febre amarela. Em todos os casos suspeitos, as pessoas passaram por um tratamento intenso.

A Saúde Municipal e a Vigilância mantêm o alerta à população para redobrar os cuidados neste novo período de clima quente e com nebulosidade variada, especialmente verificados no último quadrimestre, entre julho e outubro passados. Informações gerais sobre estas doenças podem ser obtidas na sede do Centro de Especialidades Médicas (CEM) – no Jardim Carlos Gomes – ou pelo telefone (19) 3563-5050, com ramais (3563-5051 até o 3563-5069).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: