Vacinação contra gripe começa em etapas e termina em maio

Pela segunda semana de campanha de vacinação contra o vírus influenza (H1N1), ocorrida na última semana de abril, houve ligeiro aumento de adesão do grupo prioritário – crianças, grávidas e puérperas – e, desta vez, a Vigilância Epidemiológica também apresenta breve balancete parcial da vacinação no âmbito nacional, estadual e também regional. Na semana passada, receberam a dose os trabalhadores da Saúde Pública, indígenas, idosos e servidores.

Nesta etapa semanal, seguiu a vacinação de idosos, pela segunda semana, e dos 10.222 indivíduos que devem receber a dose, o percentual em Pirassununga subiu dos 12,91% para 24,89%, ou 2,6 mil pessoas (no país o índice é de 18,27%; no estado, 27,93%; e na Regional de Piracicaba, 20,94%); entre os trabalhadores da Saúde Pública, outro avanço: 22,76% (Brasil); 29,48% (Estado/SP); Regional de Piracicaba (27,68%); e em Pirassununga, 16,62%.

entre as gestantes, a cidade registrou um índice de 13,87% acima dos demais índices (país, 10,71%; Estado/SP, 11,14%; e Regional de Piracicaba, 11.08%); e entre as puérperas, outra boa adesão inicial: no país, 14,01%; no índice estadual, 14,07%; GVE XX-Piracicaba, com 14,49% e em Pirassununga, imunização de 28,04% desta população. Finalmente, entre as crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, a adesão foi baixa: a cidade teve apenas 6,05% de imunizações; quase a mesma porcentagem no âmbito nacional (6,32%), estadual (6,29%) e regional (5,34%).

Segundo a Vgilância Epidemiológica, nesta temporada de 2017, o Ministério da Saúde pretende atingir, no mínimo, uma meta de 90% de imunazações para todos os grupos prioritários; até o ano passado, a exigência dos esforços propunha 80% de vacinação destas populações.

Os grupos que iniciaram a vacinação nas duas primeiras semanas pode e devem receber a dose neste mês de maio; para esta terceira semana, entre terça-feira (2) e sábabo (6), a etapa será dedicada para os grupos prioritários: povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos, sob medidas socioeducativas; pessoas encarceradas e funcionários do sistema prisional; pessoas portadores de doenças crônicas e não-transmissíveis, e de outras condições clínicas especiais, independente da idade; e professores das escolas públicas e privadas.

A campanha de vacinação terá o seu mutirão no “Dia D”, no dia 13 de maio (no próximo sábado, véspera do Dia das Mães) – das 8 às 17 horas – e, independentemente da etapa, todas as pessoas relacionadas com os grupos prioritários devem receber a dose.

PostosPara as etapas semanais, segundo a agenda da Vigilância Epidemiológica, a vacinação vai acontecer junto às unidades de saúde credenciadas e que deverão atender neste período de abril e maio: de segunda à sexta, das 8 às 16 horas, no Centro de Especialidades Médicas (CEM); e nas USFs Centro 1, Laranjeiras, Limoeiro, Redenção, Santa Fé, São Pedro, São Valentim, Raia e Triângulo.

Já para o “Dia D”, mutirão a ser realizado no dia 13 de maio, o horário será das 8 às 17 horas, no CEM e nas USFs Centro 1, Esperança, Ferrarezi, Kamel, Laranjeiras, Limoeiro, Pinheiro, Redenção, Santa Fé, São Pedro, São Valentim, Raia e Triângulo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: