Vacinação contra febre amarela é antecipada para próxima semana, em 56 cidades

A cada dia, o aumento de casos de febre amarela em algumas regiões do Estado de São Paulo, alertou a Secretaria de Estado de Saúde a iniciar uma campanha preventiva, então prevista para acontecer no próximo mês de fevereiro. Porém, o surto se agravou e as 56 cidades, a grande maioria concentrada nas regiões Metropolitana e Leste do Estado – que registraram aumento de casos e cerca de 21 óbitos num período de um pouco mais de 40 dias – vão iniciar a vacinação na próxima semana, quinta-feira (25).

Os casos mais recentes concentram-se na Capital/SP, em Guarulhos e Mairiporã, cidades que compõem a Região Metropolitana. Por este motivo, o governo estadual selecionou 56 cidades que estão nas áreas de contaminação ou de risco e, entre os mais de 40 Grupos de Vigilância Epidemiológica em todo o Estado (GVE), cinco destes – com base em Santo André (VII), Santos (XXV), São José dos Campos (XXVII), Caraguatatuba (XXVIII) e Taubaté (XXXIII) -, num total de 8 milhões de habitantes de 56 municípios, devem receber doses da vacina fracionada.

Diante desta situação, as demais GVEs, inclusive Piracicaba – que inclui Pirassununga – continuam seguindo as mesmas orientações anteriores divulgados recentemente pelo governo estadual: vacinar os que se deslocam para região onde houver indicação e, para os residentes e pessoas que trabalham na zona rural, a Vigilância Epidemiológica de Pirassununga, deve-se utilizar a dose inteira, ou o equivalente a 0,5 ml.

Destes 56 municípios engajados, 16 serão vacinados de modo parcial (corredores ecológicos) e os outros 40, acontecem na totalidade, com uso de doses fracionadas (exceto em algumas situações específicas: crianças entre 9 e 2 anos de idade; condições clínicas especiais; e o viajante internacional que necessite de Certificado Internacional).

Por este motivo, ainda não há previsão de se realizar uma Campanha de Vacinação contra a febre amarela em Pirassununga, pois a regional (GVE-XX) não apresenta os critérios epidemiológicos para propor esta ação (sem registros de casos em humanos e nem morte suspeita de macacos). Informações gerais sobre estas doenças podem ser obtidas na sede do Centro de Especialidades Médicas (CEM) – no Jardim Carlos Gomes – ou pelo telefone (19) 3563-5050, com ramais (3563-5051 até o 3563-5069).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: