Torneio de Futsal Feminino conhece vencedores

Em sistema de “torneio início”, na manhã do domingo passado (19), aconteceu o Torneio de Futsal Feminino “Professor Marcos Boca”, reunindo Pirassununga e outras cidades da região, pelas categorias sub-19 e adulto. O torneio foi realizado nas dependências do CEFE/Médici, na quadra 1 e ginásio de esportes “Dr. Lauro Pozzi”.

Na categoria sub-19, as cidades participantes foram Pirassununga, Santa Rita do Passa Quatro, Aguaí, Leme e Descalvado; já pela categoria adulto, as cidades que confirmaram presença foram Pirassununga, Santa Rita do Passa Quatro, Aguaí, Santa Cruz das Palmeiras e Itirapina. Em ambas categorias foram disputadas em grupos únicos. As rodadas foram disputadas em jornadas duplas – preliminar e partida de fundo – nas duas quadras e, no final, as quatro melhores equipes de cada grupo fizeram o cruzamento em partidas finais.

Na categoria sub-19, após a sucessão de confrontos, Pirassununga fez a grande final com Santa Cruz das Palmeiras e ficou com o título da competição; Santa Rita do Passa Quatro terminou na 3ª posição. O selecionado de Pirassununga se destacou pela artilheira – Carolina Jesus Chagas, com 6 gols anotados e a defesa menos vazada, com apenas 2 gols.

Já na categoria adulto, o torneio foi conquistado pela seleção de Santa Rita do Passa Quatro, que derrotou Pirassununga na grande final; Descalvado, Leme e Aguaí terminaram da 3ª à 5ª posição, respectivamente. Campeão, o selecionado santa-ritense teve a defesa menos vazada, também com 2 gols sofridos; Aline Munhoz dos Santos foi a artilheira da competição, com 10 gols.

Homenagem – O 1º Torneio Regional de Futsal Feminino prestou homenagem ao saudoso desportista, professor e técnico Marcos José da Silva Barros, o Boca, apelido carinhosamente conferido ao professor pelo seu jeito irriquieto e irreverente de se comunicar.

Pivô rápido e habilidoso, artilheiro nato, Boca, sempre esteve ligado ao futsal em Pirassununga. Após deixar a prática do esporte, se tornou um estudioso da modalidade, desde a participação de treinamentos e montagem de elencos para competição.

Como técnico, sempre foi ousado, determinado e criativo; além de ser um motivador incomparável. Suas preleções, segundo atletas que trabalharam com Boca, eram uma grande motivação, sempre dita com inteligência. Nas categorias de base, sempre criou grandes planteis nas categorias masculinas, entre 2005 e 2012. Ainda no ano de 2005, se tornou técnico do Paraíso Futsal (MG). Professor Marcos Boca faleceu, aos 40 anos, em 8 de abril de 2016.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: