Secretaria de Obras já reconstruiu diversas pontes e continua com intenso serviço de manutenção

A Secretaria de Obras da Prefeitura de Pirassununga tem mantido intenso processo de recuperação de pontes nos últimos dois anos, praticamente reconstruindo dezenas de pontes da zona rural da cidade e ainda trabalhando na manutenção de estradas rurais do Município, que se alongam por cerca de 800 quilômetros.

Se as estradas percorrem um grande traçado, a quantidade de pontes que requerem atenção do Município também é significativa, e por isso a pasta precisa manter diariamente as equipes realizando desde a manutenção das estradas até a construção de novas passagens.

Desde o ano passado foram praticamente sete pontes construídas com equipamentos e material da Prefeitura, sendo realizadas com equipe própria. Parte das pontes foram feitas com toras de eucalipto, enquanto outras foram elaboradas com tubos de concreto e blocos. A pasta verifica a necessidade do tipo de construção de acordo com a necessidade apurada e então realiza as reformas ou reconstruções de acordo com a urgência.

Foram construídas ao menos sete novas pontes: Ponte do Matão, da Japonesa/Pagotto, do Barrocão, do Monte Sião, duas pontes no Córrego da Divisa com Leme, São Domingos e do Salto.

A Ponte do Matão era de estrutura metálica, mas com o tempo deterioraram-se as placas de concreto que servia de passagem aos veículos. Houve então necessidade de substituição da estrutura por trilhos e aplicação de asfalto quente. Ou seja, a ponte da Estrada do Matão (que dá acesso aos pesqueiros) foi totalmente reconstruída.

A ponte próximo da propriedade do Pagotto/Japonesa também precisou ser totalmente reconstruída. Novas toras de eucalipto e vigotas foram colocadas para dar passagem até mesmo a veículos pesados, suportando até mesmo a passagem de caminhões pela via refeita.

A Ponte do Barrocão foi outra estrutura refeita, já que os registros da pasta demonstram que a situação era temerária naquela via. A ponte, que tinha apenas uma estrutura de madeira já condenada, também precisou ser totalmente construída novamente, recebendo agora tubos e blocos de concreto, em um complexo serviço executado pelo setor, aumentando a segurança e acessibilidade de quem trafega pela Estrada do barrocão, no acesso ao antigo Colégio dos Padres.

A Ponte do Monte Sião foi outra a ser reconstruída. Ela recebeu novas toras de eucalipto e vigotas para dar passagem também a veículos pesados, suportando até mesmo a passagem de caminhões pela via refeita.

Outras duas pontes do Córrego da Divisa com Leme também foram construídas com toras de madeira e vigotas novas. A Ponte do São Domingos, além de ser refeita, também necessitou de reforço no paredão de sustentação com novas vigas.

Outra nova ponte, cujos trabalhos de construção já estão providenciados, é a do Salto. A estrutura havia recebidos intensas intervenções da Secretaria de Obras, mas com chuvas anormais – estimadas em cerca de 100 mm em menos de 1 hora, índice muito acima da média de um mês – a estrutura foi danificada pelas águas, mas será reconstruída pelo mesmo setor.

Além das pontes acima, as duas pontes do Morim e as pontes de acesso à AMMA, do Aterro Sanitário e a Ponte Toca receberam intensa manutenção no período – mas as estruturas, que estavam firmes, não precisaram ser refeitas. Nestas então foram realizadas apenas substituição das vigotas comprometidas, as vigotas soltas foram pregadas e houve limpeza de toda a estrutura.

Vale reforçar que de acordo com a pasta, as pontes e manutenção dos quase 800 km de estradas rurais de Pirassununga são realizados prioritariamente de acordo com a urgência, risco e necessidade verificados.

Pontes totalmente reconstruídas desde 2018:

• Ponte do Matão – Substituição da estrutura por trilhos e aplicação de asfalto quente

• Ponte próximo da propriedade do Pagotto/Japonesa – Totalmente reconstruída com novas toras de eucalipto e vigotas

• Ponte do Barrocão – Era de estrutura de madeira já comprometida; recebeu novos tubos e blocos de concreto

• Ponte do Monte Sião – Recebeu novas toras de eucalipto e vigotas

• Pontes do Córrego da Divisa com Leme (duas pontes) – Construídas com toras de madeira e vigotas novas.

• Ponte do São Domingos – Refeita com toras de eucalipto, novas vigotas. Também necessitou de reforço no paredão de sustentação, recebendo nova estrutura de reforço neste paredão

• Ponte do Salto – Estrutura está sedo preparada para reconstrução

Pontes que receberam melhorias desde 2018:

• Pontes do Morim (duas Pontes)

• Pontes de acesso à AMMA

• Ponte do Aterro Sanitário

• Ponte Toca

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: