Oficina oferece noções sobre astronomia e foguetes

Desde a semana passada, a Secretaria Municipal de Educação iniciou a oficina da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, evento que também tema a participação de outras escolas públicas e particulares, tanto urbanas quanto rurais.

Segundo a organização, não há exigências de número mínimo ou máximo de participação de alunos, mas que, prioritariamente, devem participar com voluntários. Os alunos interessados em participar da olimpíada (OBA) e ainda, da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), devem cursar o ano do ensino fundamental até o último ano do ensino médio, sendo que da mostra também podem participar alunos do ensino superior.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Educação, a olimpíada e a mostra ocorrem totalmente dentro da própria escola, dispondo de uma única fase, e é realizada toda ela dentro de um ano letivo. Por este motivo, os certificados de participação e as medalhas distribuídas aos destaques são recebidos pela escola na mesma temporada. Para esta oficina, os alunos inscritos realizaram suas respectivas avaliações no último dia 19 de maio.

Oficina – Esta olimpíada e mostra, respectivamente, estão na 20ª e 11ª edições e cada aluno preencheu uma ficha de cadastro e, posteriormente, realizou uma avaliação. No caso da mostra, existe uma avaliação no “lançamento” de foguetes, de quatro protótipos diferentes, conforme o nível do aluno inscrito.

Esta mesma organização prevê, nas parcerias com as pastas municipais ou estaduais de Educação, de pelo menos seis Encontros regionais de Ensino de Astronomia (EREA), inclusive com a capacitação dos professores.

A motivação dos docentes e dos alunos também são oferecidas a disponibilização do Planetário Digital Itinerante da Olimpíada. A parceria com as escolas também prevê a disponibilização de materiais de interesse dos professores, a qualquer momento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: