Frio ajuda diminuir casos suspeitos de dengue

Há quase duas semanas, as temperaturas vem caindo em toda a região centro-sul do país. Mesmo com aumento repentino das chuvas – houve, neste mês de maio, precipitação acima da média normal do período em cerca de 150 milímetros – devido ao aumento de zonas de baixa pressão e, mesmo assim, os casos de dengue, zika e chikungunya, além da febre amarela seguem sem casos suspeitos.

Pirassununga, neste ano, apresentou um quadro totalmente favorável, com o registro de um caso “importado” no final do mês de março, resultado de intensa campanha preventiva e mutirões contra a proliferação do mosquito causador destes males, o aedes aegypti. O caso “importado”, entretanto, já foi tratado e o paciente, liberado.

Assim, os índices na cidade são altamente positivos: no caso da dengue, houve 48 casos, sendo 47 descartados e oimportado, tratado; neste ano, houve quatro notivicações de zika-vírus, com apenas um caso sob suspeita; quanto à chikungunya, foram três casos, e todos descartados. Outro índicezeradofoi em relação à incidência de microcefalia por zika, sem quaisquer registros, assim como, febre amarela, que chegou a ter notificações confirmadas na região (Araraquara, São Carlos, Mococa e sul do Estado de Minas Gerais). No entanto, não registro de vítimas.

A dengue e demais doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti seguem sob controle no município de Pirassununga. Após um surto ocorrido há quase dois anos, a Secretaria Municipal de Saúde e a Vigilância Epidemiológica aumentaram seus esforços para que a dengue, zika, chikungunya e até mesmo a febre amarela continuem longe dos lares pirassununguenses. Informações gerais sobre estas doenças podem ser obtidas no CEM ou pelo telefone (19) 3561-6292.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *