Cultura abrirá cadastro para artistas e espaços culturais preparando setor para Auxílio

A Prefeitura Municipal de Pirassununga, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, abrirá nos próximos dias o Cadastro de Artistas e Profissionais de Cultura e de Espaços Artísticos e Culturais. O objetivo é fortalecer e preparar o setor cultural para o recebimento do auxílio emergencial da Cultura decorrente da Lei Aldir Blanc.

O cadastro servirá também para registrar a diversidade de expressões culturais do município. Será possível mapear e tornar visível a atuação artística e cultural dos agentes de cultura da cidade, além de subsidiar informações para geração de indicadores culturais em Pirassununga, como prevê o Plano Municipal de Cultura.

As informações compiladas são fundamentais para que o recurso possa chegar aos profissionais da cultura, já que o setor é um dos mais afetados na crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Cadastramento dos artistas de Pirassununga

Assim que for regulamentada a Lei Aldir Blanc, a Secretaria de Cultura e Turismo abrirá o Cadastro Municipal da Cultura de Pirassununga por meio de Edital de Chamamento Público.

Como as demais prefeituras do país, para iniciar os trabalhos, a pasta ainda depende das decisões do Ministério do Turismo, onde está locada a Secretaria Especial da Cultura.

Em perfeita sintonia com o Conselho Municipal de Políticas Culturais, ações e tratativas conjuntas vêm sendo discutidas e implementadas, como o cadastro de artistas, emissão do CNPJ do Fundo Municipal de Cultura e contatos com a Procuradoria do Município para melhor conhecimento de como aplicar a lei, entre outras providências.

Quem poderá receber o Auxílio?

Profissionais da cultura com atividade interrompida pela pandemia que comprovem:

Atuação nas áreas artísticas nos 24 (vinte e quatro) meses anteriores à data da publicação da lei (forma documental ou auto declaratória);

Estar inscrito em pelo menos um dos cadastros mencionados no artigo 7º da lei;

Ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até 3 salários mínimos.

Quem não poderá receber o Auxílio?

Os profissionais da cultura com emprego formal ativo;

Aqueles que sejam titular de benefício previdenciário ou assistencial, ou beneficiário do seguro-desemprego e de programa de transferência de renda federal, com exceção da Bolsa Família;

Aqueles que já recebem o auxílio emergencial do governo federal pago a trabalhadores informais;

Quem tenha recebido no ano de 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

Que espaços e instituições não podem receber o benefício?

Os criados pela administração pública de qualquer esfera;

Os vinculados a fundações, institutos ou instituições criados ou mantidos por grupos empresariais;

Os espaços geridos pelo Sistema “S” (Senai, Sesi, Senac e Senar).


A Lei de Emergência Cultural: veja detalhes

A Lei Aldir Blanc, sancionada pelo Presidente da República, define ações emergenciais destinadas ao setor da cultura que serão adotadas durante o estado de calamidade pública, devido à pandemia de Covid-19.

Dentre as ações, prevê o pagamento de 3 parcelas de auxílio emergencial de R$ 600,00 mensais para os trabalhadores do setor cultural, além de um subsídio para manutenção de espaços artísticos e culturais, pequenas empresas culturais e organizações comunitárias do setor.

A outra parcela do recurso servirá para custear editais, chamadas públicas, prêmios, aquisição de bens e serviços ao setor cultural.

São considerados trabalhadores de cultura todas as pessoas que participam da cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais, incluídos artistas, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de artes.

De acordo com estimativa da CNM (Confederação Nacional de Municípios), Pirassununga deverá receber R$ 542.230,63 para aplicar em ações emergências no setor cultural, como informa o secretário Municipal de Cultura, Roberto Bragagnollo. Segundo o secretário, o recurso é destinado, sobretudo, aos profissionais da área artística não contemplados pelo auxílio emergencial liberado pelo governo federal.

Para ter direito ao auxílio emergencial, os trabalhadores devem cumprir vários requisitos, como limite de renda anual e mensal, comprovação de atuação no setor cultural nos últimos 24 meses anteriores à data da publicação da lei, ausência de emprego formal, e não ter recebido o auxílio emergencial do governo federal pago a trabalhadores informais.

Os espaços culturais que receberem o auxílio ficam obrigados a garantir, após o reinício das atividades, a realização de atividades para alunos de escolas públicas ou promover ações em espaços públicos de sua comunidade, de forma gratuita.

O nome da lei homenageia o cronista, compositor e cantor brasileiro Aldir Blanc, autor de canções como “Mestre Salas dos Mares’ e ‘O Bêbado e o Equilibrista’, imortalizada na voz de Elis Regina. Aldir Blanc morreu esse ano, no dia 4 de maio, em decorrência da Covid-19.

A Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural pode ser consultada através do link: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2020/Lei/L14017.htm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *