Conservatório oferece curso de clarinete

A partir deste mês de agosto, o Conservatório Municipal “Cacilda Becker” – vinculado à Secretaria Municipal de Educação, e localizado no Jardim do Lago – vai oferecer mais um curso, neste segundo semestre, aulas de clarinete. Um dos instrumentos musicais mais presentes em orquestras sinfônicas e filarmônicas, o clarinete produz um dos sons mais agudos entre os instrumentos musicais de sopro.

Para os interessados em cursar, o Conservatório Municipal “Cacilda Becker” oferece 40 vagas para as aulas de clarinete, divididas nos períodos manhã, tarde e noite, de acordo com a necessidade dos alunos. As aulas são individuais e, portanto, existe essa disponibilidade de “negociação” de horários.

Para efetivar a matrícula é necessário cópia dos documentos pessoais, comprovante de residência e uma foto 3×4. Valor das mensalidades é R$73,84 (setenta e três reais e oitenta e quatro centavos). Quaisquer informações complementares podem ser dirimidas na secretaria do Conservatório Municipal, pelos telefone (19) 3562-2159. Horário de funcionamento da secretaria é de segunda à quinta-feira, das 8 às 20h30, ininterruptas; já às sextas-feiras, o atendimento acontece das 8 às 18 horas.

Clarinete – O clarinete é um tradicional instrumento musical de sopro, muito parecido com a flauta, constituído por um tubo cilíndrico, geralmente de madeira, com uma boquilha cônica de palheta simples e chaves (hastes metálicas, ligadas a tampas para alcançar orifícios aos quais os dedos não chegam naturalmente). Possui quatro registros: grave (Chalumeau), médio, agudo e super-agudo.

O clarinete descende de um antigo instrumento chamado chalumeau, originário da França, durante a Idade Média. Em 1690, o músico alemão Johann Christoph Denner acrescentou ao antigo instrumento, uma chave para o polegar da mão esquerda, para que assim pudesse tocar numa abertura, o que lhe trouxe mais possibilidades sonoras. E assim, surgiu o clarinete contemporâneo, posteriormente, introduzido nas orquestras no século seguinte, por volta de 1750.

Desta origem no século 16 até a atualidade, as modernas orquestras dispõem de até dez tipos de clarinetes, sendo que as mais comuns nas execuções clássicas são o clarinete sopranino em “lá” (sixtino) e em “mi” (quartino).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: