Campanha de Vacinação contra Sarampo e Polio será em agosto

Os governos federal e estadual agendaram para realizar, no período de 4 e 31 de agosto próximo, a Campanha Nacional de Vacinação, sob coordenação do Ministério da Saúde, juntamente com as secretarias estaduais e municipais de Saúde, cuja imunização será contra a poliomielite e sarampo. A iniciativa também realiza em dois sábados alternados (dias 4 e 18), como os “Dias D” esta campanha.

A medida, segundo a Vigilância Epidemiológica, é vacinar mais de 90% a população-alvo: as crianças de um ano até quatro anos, 11 meses e 29 dias. O objetivo é vacinar – indiscriminadamente – contra poliomielite e sarampo, estas crianças já citadas, contribuindo para a redução do risco de reintrodução do poliovírus selvagem da poliomielite, sarampo e rubéola. Em Pirassununga, a população-alvo é de 3.366 crianças de 1 ano até 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias).

As unidades que estão mobilizadas para este atendimento em agosto – entre os dias 4 e 31 de agosto, sempre nos horários das 7 às 11 horas e das 13 às 16 horas – serão as unidades básicas de saúde (UBSs): “Dra. Lúcia Mocho Rosa Tosi” (Jardim São Valentim); Jardim das Laranjeiras; “Guaraciaba Vanin” (Bairro da Raia); Centro de Especialidades Médicas (CEM); “Aristides Rodrigues” (Vila Redenção); “Dr. João Antônio Del Nero (Vila São Pedro); “Roque De Mattia” (Vila Brás); “João Balbi” (Vila Santa Fé); “José Marafão” (Jardim Limoeiro, Cachoeira de Emas); e bairros da zona rural – Santa Tereza, Santo Antônio Cavaleiro e Itupeva.

Quaisquer informações complementares sobre esta agenda da Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e sarampo, ou outra agenda da Vigilância Epidemiológica e Imunização podem ser obtidas junto ao Centro de Especialidades Médicas (CEM), no Jardim Carlos Gomes, ou pelo telefone (19) 3561-6292; a responsável é a enfermeira Ana Paula Venância Ribeiro.

Sarampo O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. Complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano. Esta doença é de distribuição universal e apresenta variação sazonal. Nos climas tropicais, caso do Brasil, a transmissão parece aumentar depois da estação chuvosa. O comportamento endêmico do sarampo varia de um local para outro e depende basicamente da relação entre o grau de imunidade e a suscetibilidade da população, além da circulação do vírus na área.

Os sintomas do sarampo incluem febre alta acima de 38,5°C; erupções na pele; tosse; coriza; conjuntivite; e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecidas como sinais de Koplik e que antecedem de um a dois dias antes do aparecimento da erupção cutânea. Ocorre de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. A transmissão acontece de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema. O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início da erupção cutânea.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: