Calor pede cuidados redobrados contra dengue

Nesta temporada de 2017, Pirassununga é uma das poucas cidades em todo o interior paulista que não registrou quaisquer incidências de contágio local de dengue e outras doenças disseminadas pelo vetor, o mosquito aedes aegypti, como chikungunya e zika-vírus.

Este trabalho preventivo foi amplamente feito pela municipalidade e a Secretaria Municipal de Saúde que, insistentemente, realizaram uma série de “arrastões de limpeza”, nos meses de janeiro até início de março. “Houve a colaboração maciça da população e a grande maioria manteve seus imóveis limpos e sem entulhos ou locais com água parada”, resumiu a Vigilância Epidemiológica.

Mesmo sem registros autóctones destas doenças, a Saúde Municipal e a Vigilância voltam a alertar a população para redobrar os cuidados para este novo período de clima quente e seco, especialmente verificados em agosto e agora, em setembro.

A tendência é que o final deste mês e o início de outubro, as chuvas regulares e o calor mais intenso retornem, o que deixa propício para a proliferação do mosquito aedes aegypti. “A cidade não pode se descuidar, pois estas doenças podem voltar a qualquer momento”, reitera a Vigilância.

Até o final da semana passada, com dados atualizados na sexta-feira (9), nestes primeiros oito meses houve 50 notificações de suspeitas de dengue, com 49 descartes e um caso “importado” confirmado e tratado com sucesso. Quanto a chikungunya foram três notificações e três descartes; já em relação à zika, foram quatro notificações, sendo todas descartadas.

1º Semestre – Diferente dos anos de 2013 a 2016, Pirassununga teve um primeiro semestre de 2017 chuvoso, porém, sem registros de doenças, entre elas, a dengue, zika, chikungunya e febre amarela, todas transmitidas por um único vetor, o mosquito aedes aegypti.

Estas doenças transmitidas pelo mosquito seguem sob controle no município de Pirassununga. Após um surto ocorrido há dois anos, a Secretaria Municipal de Saúde e a Vigilância Epidemiológica aumentaram seus esforços para que a dengue, zika, chikungunya e até mesmo a febre amarela continuem longe dos lares pirassununguenses.

Informações gerais sobre estas doenças podem ser obtidas na sede do Centro de Especialidades Médicas (CEM) – no Jardim Carlos Gomes – ou pelo telefone (19) 3563-5050.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: