Alargamento e recapeamento no Anel Viário chega a etapa final

Depois de vários meses de obras estruturais no Anel Viário, finalmente essa importante interligação deve ter suas obras concluídas, com passeio para ciclistas e pedestres independente do local onde os veículos trafegam. Com isso os pedestres e ciclistas devem ter mais segurança ao circularem pela via.

Além do alargamento de toda a faixa de rolamento, o Anel Viário vai receber sinalização no solo, incluindo pintura das faixas de circulação distintas. Hoje a aplicação de uma nova camada asfáltica por mais de 1.800 metros da extensão da via está sendo concluída.

O trecho onde as obras se concentraram se inicia na rotatória da Avenida Duque de Caxias Norte até o final da Avenida Painguás, na região norte da cidade. Em toda essa extensão foi aplicada massa asfáltica e as obras ficaram a cargo da Prefeitura e da empresa DGB, vencedora de licitação para executar os serviços.

Agora tanto ciclistas como pedestres terão efetiva segurança para circularem pelo trecho. Com a implantação de mais uma faixa, a fluidez também deve melhorar. Isso porque, às margens do Ribeirão do Ouro, ao lado da via, há agora 2 metros de recuo reservados para a implantação de uma ciclovia. Esse recuo foi possível graças à construção de um paredão de pedras realizado pela Prefeitura de Pirassununga, feito para conter o assoreamento deste córrego. Do outro lado o recuo será utilizado para a circulação de pedestres.


Entenda toda a obra do Anel Viário

Inicialmente equipes de trabalho da Secretaria Municipal de Obras e Serviços, com auxílio do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran, vinculado à pasta de Segurança Pública) realizaram o “paredão de pedras” ao longo do Ribeirão do Ouro, para conter o assoreamento deste córrego.

Depois da finalização desse muro de contenção, no sentido norte-sul do Anel Viário (nas proximidades do Centro Educacional Dida-Ciebe/FATECE), na região do Jardim Urupês, próximo à avenida Marginal, houve a abertura de um novo acesso com rua, que já facilita comércios desta região, que possui um mecânica de automóveis, guincho, borracharia entre outros.

Houve a colocação de tubulação para constituir a rede pluvial e evitar o assoreamento, e posteriormente uma sequência de colocação de rejunte das encostas deste “paredão de pedras” para contenção do barranco – mesmo num período chuvoso haverá vazão suficiente para águas pluviais, sem causar transtornos ao tráfego.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: